segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O fim das lutas


o fim das lutas

quando na densa noite
se avulta sobre mim
a solidão sinistra e sombria
no desespero de não ter pra onde olhar...

quando não resta mais saída
e em frente a um abismo estou
em meio a um deserto desolado de dor...

sinto sua presença
a alegria me invade
seu poder me inunda
sinto meu espírito ascender

seus passos abençoados
que revivem o que tocam
o deserto floresce
sobre o abismo surge uma ponte
de mãos dadas atravessamos

e enfim adentramos no lindo
lar para juntos conviver
pelo eterno e infindo tempo

                                                                                                                    Anderson lubar

Nenhum comentário:

Postar um comentário