segunda-feira, 10 de novembro de 2014

A Lua Retrata o meu amor

Princesa formos, rainha de tudo que ha de bom
Linda anja anja formosa, sinceridade é o seu medalhão
Na luz da manhã que para todos trás luz e calor
Ao longe eu posso com meus indignos olhos
Diviso tão bela e magnifica visão

Com pele tão alva qual ave tão rara
Caminha sozinha na luz do luar
"Oque tu procuras bela princesa 
caminhando sozinha na escuridão?"

Mesmo sem a resposta de perto a segui
Suas longas madeixas esvoaçantes
Perfumes envolventes de seu corpo a emanar

Com o decorrer das longas horas que ao seu lado passei
reparei em uma luz enregelante que a envolvia a bela donzela
Esse escudo gelado me mantinha longe, dela me afastava
Por mais que lutasse não pude toca-la
Em meus esforços seus cabelos toquei
Fazendo a deusa para mim se virar
Ao olhar em seus olhos simplesmente estaquei
Não podendo me mover sua mudança contemplei
Seus cabelos loiros se escureceram
O olhar antes distante, em mim se focou
Sem poder me suster, aos seus pés eu caí

Senti seu toque suave em minha tez 
Uma voz gentil, doce e envolvente 
meus sentidos tocaram
"Por que me segues, gentil cavaleiro ?
Ainda não notaste meu coração de gelo ?"

Ainda de joelhos me forcei a falar
com lagrimas quentes no meu rosto a rolar
com voz vacilante e sem encara-la 
o bom jovem respondeu

Senhora da lua, não sou digno nem de olha-la
Tudo que sei é que aqui estou
pois já não mais posso te deixar ir
se ao teu lado não puder seguir
Pois desde o primeiro momento
Em que te conheci
Meu coração fútil deixou de bater
neste instante notei que longe de ti já não quero viver

Sem dizer palavra o anjo minha face tocou
ergueu meu rosto e nossos olhares então a se cruzar
senti o calor em meu corpo fluir
e meu coração voltou a bater
Por que ?? perguntei

"Por que meu anjinho não seria justo por toda eternidade te fazer sofrer.
Agora já podes de mim se afastar e com sua vida enfim prosseguir

Ela então de mim se afastou
Com muito esforço pude me mover e acelerado em seu rastro parti
cançado e sem forças finalmente alcancei

Espantada e confusa a deusa me olhou
Mas antes que ela pudesse falar
me aproximei e me pus a beija-la
olhando-a sem folego em seus ouvidos sussurrei
Não importa que hoje seja de gelo seu coração
me abraça agora pois já sem ti não quero viver
ao teu lado seguirei até o final

                                   Anderson Lubar
em homenagem a uma pessoa muito especial
para sempre vou te amar minha Caliope

Nenhum comentário:

Postar um comentário